segunda-feira, 10 de maio de 2010

O Corcunda Quasímodo em “Notre Dame de Paris”

Em O Corcunda de Notre Dame, como é popularmente conhecido o livro Notre Dame de Paris (1831), de autoria do romancista francês Victor Hugo, encontramos no capítulo V do livro primeiro o seguinte trecho:

Não tentaremos dar ao leitor uma idéia desse nariz tetraédrico, dessa boca recurva como uma ferradura; desse pequenino olho esquerdo obstruído por uma sobrancelha ruiva e áspera como tojo, enquanto o olho direito desaparecia completamente sob a enorme verruga, dessa dentadura desordenada, aqui e além brechada, como as ameias de um forte; desse lábio caloso, por sobre o qual avança um desses dentes como uma presa de elefante; desse queixo fendido; e principalmente da fisionomia diluída sobre tudo isto; desse misto de malícia, de estranheza ou de mágoa [...] Uma cabeça gigantesca, erriçada de uma cabeleira ruiva; entre os dois ombros uma bossa enorme que, com o movimento, fazia vulto por diante; um sistema de coxas e pernas tão singularmente descambadas que apenas se podiam aproximar pelos joelhos e que, vistas de frente, pareciam duas lâminas recurvas de foice, unidas pelo cabo; pés largos, mãos monstruosas [...] Dir-se-ia um gigante despedaçado e inabilmente recomposto.[...] Quasímodo não respondeu; Era, com efeito, surdo. (Victor Hugo, 1831).

Observando a descrição detalhada que o autor faz a respeito de Quasímodo, é evidente supor que a grave deformidade física do personagem central deve-se as manifestações da sífilis congênita tardia:

Nariz Sifilítico ou em Sela“Nariz tetraédrico”
Microftalmia - “ pequenino olho esquerdo”
Ptose palpebral - “o olho direito desaparecia completamente sob a enorme verruga”
Fronte olímpica“Uma cabeça gigantesca”
Dentes de Hutchinson“dentadura desordenada, aqui e além brechada”
Cifose “entre os dois ombros uma bossa enorme que, com o movimento, fazia vulto por diante”
Genu Valgum“Um sistema de coxas e pernas tão singularmente descambadas que apenas se podiam aproximar pelos joelhos e que, vistas de frente, pareciam duas lâminas recurvas de foice, unidas pelo cabo.”
Acromegalia “Pés largos, mãos monstruosas”
Surdez neurológica - “Era, com efeito, surdo.”

REFERÊNCIAS:
1.HUGO, Victor "Nossa Senhora de Paris", EDIGRAF, São Paulo, 1958.
2,SARACENI, Valéria "A sífilis, a gravidez e a sífilis congênita",2005
.



8 comentários:

  1. poderia incluir mal de pott sifilitico ao desesparado monstro da bela esmeralda!

    ResponderExcluir
  2. Olá Tulio,
    Apesar da semelhança entre as lesões ósseas de ambas, algumas evidências apontam em favor da sífilis congênita. Uma delas é a idade em que as manifestações surgiram; sabemos que após a penetração do bacilo através das vias aéreas, é necessário um tempo considerável para que, por via hematogênica, ele chegue a atingir os ossos. Quando ainda bebê, Quasímodo já tinha, nas palavras de Hugo "um aspecto monstruoso". Outra é que alguns dos sinais descritos são bem característicos da Sífilis congênita, tais como: dentes de Hutchinson, nariz em sela e surdez.

    ResponderExcluir
  3. Se me permite fazer uma sugestão: uma vez fiz um trabalho sobre síndrome de cushing e utilizei o Barney dos simpsons como modelo: facies em lua cheia, dorso de bufalo, deposição de gordura centripeta, membros hipotrofia de membros superiores e inferiores. Acho que seria uma boa apesar de você usar mais os personagens clássicos.
    PH

    ResponderExcluir
  4. PH,
    agradeço a interessante sugestão. Parabéns pela idéia. Creio que ficará super legal um post tratando desse tema. Vou pesquisar e em breve colocarei aqui. Obrigada!

    ResponderExcluir
  5. É genial aproveitarmos a literatura e as artes para estudar a Medicina, quem disse que devemos escolher entre duas paixões! Amei seu blog! Concordo com a sífilis congênita tardia, pelo mesmo motivo. O bebê iria ser abandonado mas foi escravizado e escondido dos olhos do mundo por Frollo, e foi estigmatizado de Monstro para que tivesse uma gratidão eterna ao seu amo. Até que apareceu a "sans-papier" Esmeralda! Obra-prima de Victor Hugo! S2

    ResponderExcluir
  6. Oi Nathalia, além de exaltar e embelezar a atividade médica, as artes são, sem dúvida, um maravilhoso veículo para se chegar ao conhecimento científico. Obrigada pela visita e pelo comentário, beijos.

    ResponderExcluir
  7. Quasímodo não era portador de surdez adquirida, induzida pela exposição ao ruído, devido à sua função de fazer badalar os sinos de Notre-Dame?

    ResponderExcluir