sexta-feira, 8 de outubro de 2010

Lepra no Antigo Testamento

O que é, nos dias de hoje, a lepra da Bíblia? A lepra bíblica é a mesma doença que atualmente conhecemos como hanseníase? A resposta resumida é que a Bíblia não menciona de maneira explícita ou inequívoca a hanseníase (nome com o qual atualmente designamos o complexo clínico de sinais e sintomas causado pelo Mycobacterium leprae). O termo “lepra”, durante séculos, foi utilizado para designar diversas doenças dermatológicas de origem e gravidade variáveis.

1. Falou mais o SENHOR a Moisés e a Arão, dizendo:

2. Quando um homem tiver na pele da sua carne, inchação, ou pústula, ou mancha lustrosa, na pele de sua carne como praga da lepra, então será levado a Arão, o sacerdote, ou a um de seus filhos, os sacerdotes.

3. E o sacerdote examinará a praga na pele da carne; se o pêlo na praga se tornou branco, e a praga parecer mais profunda do que a pele da sua carne, é praga de lepra; o sacerdote o examinará, e o declarará por imundo.


Estes versículos fazem parte do capítulo 13 do Levítico, que é inteiramente dedicado ao diagnóstico da lepra. A doença parece ter sido frequente na antiguididade, mas – e talvez por causa disso – o rótulo pode ter incluído vários outros problemas de pele. Além disso, havia o estigma; o contágio com enfermidades da pele muitas vezes envolve o contato íntimo, com todas as implicações possíveis. Durante muitos anos, os sacerdotes estiveram à frente do cuidado de pessoas que sofriam de lepra. À época de Moisés não existia ainda o templo de Jerusalém; mas, na construção deste, foi previsto um lugar especial para o exame de suspeitos. A doença é a maneira pela qual Deus castiga os pecadores e os inimigos do povo eleito: “Se não guardares e não cumprires as palavras da Lei e se não tiveres temor ao nome glorioso e terrível do Senhor teu Deus, Ele te castigará, e a teus filhos, com a praga” (Deuteronômio, 28:58-59).

A lepra é conhecida como "a doença mais antiga do mundo", afetando a humanidade há pelo menos 4000 anos e sendo os primeiros registros escritos conhecidos encontrados no Egito, datando de 1350 a.C..

REFERÊNCIAS:
1. Lepra na Bíblia: estigma e realidade / Stanley George Browne . — Viçosa : Ultimato, 2003.
2. Bíblia Sagrada – Tradução de João Ferreira de Almeida.
3. SCLIAR, Moacyr, "A Paixão Transformada", Companhia das letras, São Paulo, 1996

6 comentários:

  1. Será essa herança que ainda hoje faz as pessoas negarem e terem dificuldade em aceitar o diagnóstico e tratamento?

    ResponderExcluir
  2. Porque é que ninguém explica que o primeiro sintoma visível num leproso daquela época era semelhante a vitiligo de hoje, já que eram um povo de cor preta?

    ResponderExcluir
  3. Que Deus cruel esse, pois castiga seus próprios filhos com essa doença terrível. Prefiro ficar com Deus da minha consciência, que é um Deus de amor e perdão, e não um Deus perverso e sanguinário como esse do Antigo Testamento.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Realmente é difícil ver no A.T. o Deus de amor revelado em Jesus Cristo. Mas acredite Deus é imutável e deseja que o amemos assim como ele nos ama! Jo 3:16.

      Excluir
    2. O do AT é o Deus do NT, se Ele castigava ou castiga hoje alguém é por que está pessoa merece, pois Deus é Justo. As pessoas viram as costas para o Deus que a fez, desdenham dEle com palavras ou atos quando deveriam lhe dar glória, quando deveriam ser agradecidos pela vida pelo pão de cada dia pelo ar para respirar. E existe a questão também que Deus castiga para que seu povo repense suas atitudes erradas e se volte para aquele que é bondoso, que cuida dos seus, que ama os seus e se agrada por assim dizer daqueles que buscam ser fiéis a Ele.
      Deus fez o universo e tudo o que há, pode ter certeza, Ele sabe o que faz.

      Excluir
  4. Não é Deus que é cruel e sim o homem!Deus sempre orientou o homem sobre o certo e o errado, porém o homem não obedeceu as orientações e tem colhido as consequências!
    O isolamento de uma pessoa leprosos, tinha como objetivo impedir o contágio. Deus naquela época realizou a quarentena que somente no final da Idade Média, o homem aprendeu que deveria isolar o doente ( precisou que 1/4 da população europeia morresse).Deus não quis que houvesse o preconceito sobre a lepra e outras doenças e sim a prevenção! Quem desenvolveu o preconceito? O homem! E Deus é cruel? Não! O homem despreza as orientações de Deus e colhe as consequências!
    Durante a Idade Média, as pessoas defecavam em qualquer lugar e excrementos também eram jogados na água que eles beberiam . Se lermos o livro de Leviticos, Deus já orientava o homem de como tratar as fezes. Enfim...o espaço é pouco para relatar todas as orientações que Deus deu ao homem para que ele pudesse ter uma vida saudável,mas o homem decidiu fazer do jeito dele desde o Éden. Não é Deus que é cruel e sim, o homem!

    ResponderExcluir