sexta-feira, 1 de outubro de 2010

"Os Aleijados" Pieter Bruegel

Alguns deficientes do aparelho locomotor podem ser vistos em Os Aleijados, de Pieter Bruegel (1525 – 1569):

Os Aleijados (1568). Pieter Bruegel. "O Velho". Óleo sobre madeira. 22 x 18 cm.

O artista pintou cinco portadores de necessidades especiais que se movimentam ajudados por órteses artesanais. Três deles olham para o espectador da cena. Suas fisionomias sugerem retardo mental. Quatro dos cinco deficientes usam capas com caudas de raposas penduradas nos casacos; tais capas, símbolo da degradação humana, eram utilizadas por leprosos e serviam de advertência aos transeuntes para que se mantivessem a uma prudente distância do hanseniano.

Para Bruegel, as pessoas sadias não se importavam com os demais. Uma curiosidade que pode ser vista nesse quadro, é que os portadores de necessidades especiais se encontram juntos, como se estivessem isolados pela sociedade por serem diferentes da maioria. Os cinco deficientes representam classes sociais distintas. Pelos toucados que apresentam nas cabeças tratar-se-ia de um rei, um bispo, um soldado, um burguês e um camponês. Bruegel, ironicamente, pintou-os com deformidades físicas. A única pessoa sadia da cena, uma freira que aparece de costas para os demais, afasta-se do grupo.

A intenção de Bruegel em Os Aleijados seria a de mostrar o que a pessoa se tornou e o que qualquer um poderia se tornar, alertando a população sobre a suscetibilidade de todos às afecções, pois todos são imperfeitos e, portanto, iguais.

A obra integra o acervo do Museu do Louvre, em Paris.

1.CIVITA Victor. Mestres da Pintura: Brueghel. São Paulo: Abril Cultural, 1978.
2.BEZERRA, A.J.C.; As belas artes da medicina. Conselho Regional de Medicina do Distrito Federal, Brasília, 2003.
3.Roberto Cano de la Cuerda, Susana Collado-Vázquez ;“Deficiencia, discapacidad, neurología y arte”; Rev Neurol 2010; 51 (2): 108-116

2 comentários:

  1. Teu blog é cult total... Dificil ver alguém produzindo algo realmente bom hoje em dia! A senhorita está de parabéns, doutora!

    ResponderExcluir