segunda-feira, 18 de novembro de 2013

Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade em "Os Simpsons"

O segundo episódio da décima primeira temporada do seriado “Os Simpsons”, exibido em 2011, mostra o personagem Bart como portador do Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH).

O transtorno se caracteriza por frequente comportamento de desatenção, inquietude e impulsividade, em pelo menos três contextos diferentes.

Confira:



O grande número de indivíduos submetidos a farmacoterapia devido ao eventual diagnóstico de TDAH para justificar o mau desempenho escolar geram controvérsias desde a década de 1970.

O episódio, enfocando nos efeitos colaterais de uma medicação que controlaria o comportamento (“Fucosyn” - provavelmente um derivado anfetamínico), faz uma crítica à banalização da medicalização. O personagem desenvolve uma psicose anfetamínica, efeito adverso não raro de uso de drogas como a dextroanfetamina – medicamento que reduziria sintomas do TDAH, manifestada prioritariamente por delírios persecutórios.

4 comentários:

  1. Oi Renata, puxa, quanto tempo!
    Adorei o post e também percebo o excesso de medicalização de supostos casos de TDAH, que na verdade são crianças ansiosas em famílias disfuncionais, nada que uma boa terapia de família não resolvesse, mas é mais fácil ter um bode espiatório do que enfrentar o trabalho que as mudanças de atitude nos dão….uma pena.
    Espero que esteja tudo bem com você.
    Bjs e ótima semana

    ResponderExcluir
  2. Muito legal o post.
    Tem uma tirinha do Calvin e Haroldo, feita por um fã se não me engano, que trabalha essa temática também. O Calvin começa com o medicamento e o Haroldo perde a "vida".

    Achei o link da tirinha:
    http://capinaremos.com/files/2008/10/calvin-e-haroldo-final.jpg

    Abraços.

    ResponderExcluir
  3. A ver:
    TRANSTORNOS MENTAIS EM POOH E AMIGOS
    http://blogdopg.blogspot.com.br/2012/05/transtornos-mentais-em-pooh-e-amigos.html

    ResponderExcluir
  4. Nossa, que comentário ofensivo para as pessoas que como eu enfrentam o problema... A ignorância só aumenta o estigma.

    ResponderExcluir